Número total de visualizações de página

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

ADVENTO E A CELEBRAÇÃO DO NATAL




Começa na Igreja Católica o tempo litúrgico do Advento que são 4 semanas de preparação para o Natal, nascimento de Jesus de Nazaré.
Cristo que veio (no passado- 2009 anos), Cristo que vem (no presente, no aqui e agora, de forma espiritual) e virá no futuro.
Temos de despertar a consciência para a celebração do Natal de Jesus Cristo, e esse tem de ser devidamente preparado.
Nós, os cristãos, celebramos no Natal o nascimento de Jesus. Infelizmente, desde há uns anos para cá, vimos assistindo a um conjunto de medidas tendentes a paganizarem-no.
A roubarem-lhe o sentido cristão.
A substituírem o Natal de Jesus Cristo pelo natal do pai natal.
A todo um conjunto de manifestações consumistas, exibicionistas, nada evangélicas.
E isto acontece, não tanto com a passividade, mas até com a colaboração de indivíduos que se dizem cristãos.
Quando era garoto diziam-me ser o Menino Jesus quem, descendo pela chaminé, pela calada da noite, punha prendinhas no sapato.
Porque isso não correspondia à verdade, deixaram de o dizer.
Acontece agora, em algumas festas de solidariedade promovidas por instituições ligadas à Igreja, surgir a figura bonacheirona de um pai natal carregadinho de prendas, substituindo uma piedosa mentira por uma mentira comercial.
Que nós, os cristãos, não consintamos na paganização do Natal.
Para nós, não deverá haver outro Natal que não seja o Natal (nascimento) de Jesus. Mistério da ENCARNAÇÃO.
Um dos mistérios centrais da nossa fé cristã.
Natal hoje é a recordação histórica do nascimento de Jesus há 2009 anos, mas é também o acontecimento espiritual, sempre actual, de Deus que quer nascer e morar no nosso coração, na nossa alma.
Que, em vez da figura do pai natal, não deixe de haver, em cada lar, uma imagem do Menino Jesus.
Porque não montar também um presépio?
E no presépio, é evidente, são essenciais as imagens de Jesus, de Maria e de José. Tudo o mais é dispensável.
Mas celebrar o Natal de Jesus não é só fazer um presépio.
É tomarmos consciência da Mensagem de Jesus Cristo, da sua Boa Nova, que tem por base o amor de Deus por nós e o nosso amor a Deus e aos outros.
Jesus veio dizer-nos termos em Deus um Pai que nos ama.
Veio dizer-nos que devemos amar a Deus, o que implica que nos amemos uns aos outros.
Ele mesmo deu o exemplo, fazendo da própria vida um serviço e uma doação em favor dos homens.
O Natal de Jesus não deve ser, senão, a festa do amor, da fraternidade, do bom entendimento entre os homens: Glória a Deus e Paz na terra aos homens.
O melhor presépio a montar há-de ser no coração de cada um de nós. Por isso a preparação do Natal deverá ser um tempo de reflexão, a que a liturgia da Igreja chama Advento, e principia no primeiro Domingo do Advento, dia 29 de Novembro, este no de 2009.

P. Albano Nogueira

terça-feira, 24 de novembro de 2009

POR QUÊ IR À MISSA/ EUCARISTIA?



Por que o alimento espiritual é indispensável para nossa vida.

Sem Cristo vivo em nossa vida, perecemos.

Não há cristão sem missa.

O catolicismo não é uma religião do cristão isolado, intimista, o católico cristão só o é no seio de uma comunidade de fiéis, que se materializa dentre outras coisas, na presença física e espiritual na Missa.

O cristão não pode viver sem ir a missa, sem celebrar a Eucaristia (Acção de Graças).

Na Eucaristia comungamos o Corpo de Cristo e fazemos do nosso corpo um templo de Deus.

Pergunto: pode um cristão viver separado de Cristo? Claro que não. Então, a missa se torna imperativa para nós, imperativa não como obrigação tão-somente, mas um imperativo de vida, imperativo existencial, porquanto nela, missa, recebemos o alimento espiritual e rendemos graças Àquele que nos dá a paz.

Daí porque devemos ir mesmo quando estamos com pouca vontade, aliás, a pouca vontade é mais do que uma razão para ir, é o momento oportuno para pedirmos: Pai, aumenta-nos fé!
Sobre a Santa Missa, Santo Escrivá (Fundador do OPUS DEI) possui ensinamentos preciosos, vejamos:"Assistindo à Santa Missa, aprendemos a conviver com cada uma das Pessoas divinas: com o Pai, que gera o Filho; com o Filho, que é gerado pelo Pai; e com o Espírito Santo, que procede dos dois.

Convivendo com qualquer uma das três Pessoas, convivemos com um só Deus; e convivendo com os três, a Trindade, convivemos igualmente com um só Deus, único e verdadeiro.

Amemos a Missa, meus filhos, amemos a Missa.

E comunguemos com fome, mesmo que nos sintamos gelados, mesmo que a emotividade não nos acompanhe: comunguemos com fé, com esperança, com inflamada caridade.

Não ama a Cristo quem não ama a Santa Missa, quem não se esforça por vivê-la com serenidade e sossego, com devoção e carinho.

O amor converte os enamorados em pessoas de sensibilidade fina e delicada; leva-os a descobrir, para que se esmerem em vivê-los, pormenores às vezes insignificantes, mas que trazem a marca de um coração apaixonado.

É assim que devemos assistir à Santa Missa.

Por isso sempre desconfiei das pessoas empenhadas em ouvir uma Missa curta e atropelada: pareciam-me demonstrar com essa atitude, aliás pouco elegante, não terem percebido ainda o que significa o Sacrifício do altar.

O amor a Cristo, que se oferece por nós, incita-nos a saber encontrar, uma vez terminada a Missa, alguns minutos para uma acção de graças pessoal e íntima, que prolongue no silêncio do coração essa outra acção de graças que é a Eucaristia. (É Cristo que passa, nn. 91-92)".

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

EU SOU FORTE



Enviado por Magali Elisabete, Juindiaí, S. Paulo, Brasil

Certo dia, a PEDRA disse: “Eu sou forte”.
Ouvindo isso, o FERRO disse:
“Eu sou mais forte que você! Quer ver?”
Então, os dois duelaram até que a pedra se tornasse pó.
O ferro, por sua vez, disse: “Eu sou forte”.

Ouvindo isso, o FOGO disse:
“Eu sou mais forte que você! Quer ver?”
Então os dois duelaram até que o ferro se derretesse pelo fogo.
O fogo, por sua vez, disse: “Eu sou forte”.

Ouvindo isso, a ÁGUA disse:
“Eu sou mais forte que você! Quer ver?”
Então os dois duelaram até que o fogo se apagasse.
A água, por sua vez, disse: “Eu sou forte”.

Ouvindo isso, a NUVEM disse:
“Eu sou mais forte que você! Quer ver?”
Então os dois duelaram até que a água evaporou.
A nuvem, por sua vez, disse: “Eu sou forte”.

Ouvindo isso, o VENTO disse:
“Eu sou mais forte que você! Quer ver?”
Então, os dois duelaram até que o vento fez desaparecer a nuvem.
O vento, por sua vez, disse: “Eu sou forte”.

Ouvindo isso, os MONTES disseram:
“Nós somos mais forte que você! Quer ver?”
Então os dois duelaram até que o vento ficasse preso dentro do círculo dos montes.
Os montes, por sua vez, disseram: “Nós somos fortes”.

Ouvindo isso, o HOMEM disse:
“Eu sou mais forte que vocês! Querem ver?”
Então o homem, dotado de grande inteligência, perfurou os montes, impedindo que eles prendessem o vento.
Acabando com o poder dos montes, o homem disse: “Eu sou a criatura mais forte que existe”.
Até que veio a MORTE e o Homem que achava ser inteligente e forte suficiente, com um golpe apenas, acabou-se.

A morte ainda comemorava, quando, sem que ela esperasse, veio UM HOMEM e, com apenas 3 dias de falecido, venceu a morte e todo o poder Lhe foi dado na terra e no Céu. Como se não bastasse, vencida a morte, Ele nos deu o direito de ter a Vida Eterna através do Seu sangue, que nos liberta de qualquer pecado.

Esse homem é JESUS CRISTO, o Filho de Deus Vivo e disse:
“Eu sou a Ressurreição e a vida. Aquele que crê em Mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que vive e crê em Mim, jamais morrerá”. Jo 11, 25-26.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

O SAL E A DOR



Enviado por Magali Elisabete, Jundiaí, S. Paulo, Brasil


"O velho mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal num copo de água e bebesse.

- Qual é o gosto? Perguntou o mestre.

- Ruim. Disse o aprendiz.

O mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.

Os dois caminhavam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago.

Então o velho disse:

- Beba um pouco dessa água.

Enquanto a água escorria do queixo do jovem, o mestre perguntou:

- Qual o gosto?

- Bom, disse o rapaz.

- Você sente o gosto do sal?

- Não. Disse o jovem

O mestre, então, sentou-se ao lado do jovem, pegou-lhes nas mãos e disse:

- A dor da vida de uma pessoa não muda, mas o sabor da dor depende de onde a colocamos.

Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo à tua volta. É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu.

Por outras palavras, é deixar de ser copo para se tornar num lago.

Felicidade e muita paz.

OBRIGADO.
P. Albano Nogueira

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

VIVA COMO AS FLORES




Texto enviado por Rosa Silva - Portugal


"Mestre, como faço para não me aborrecer?

Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes.
Algumas são indiferentes.

Sinto ódio das que são mentirosas e ainda sofro com as que caluniam.

Pois viva como as flores, advertiu o mestre.

Como é viver como as flores? - Perguntou o discípulo.

Repare nestas flores, continuou o mestre, apontando lírios que cresciam

no jardim.

Elas nascem no esterco, entretanto, são puras e perfumadas.

Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não

permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas.

É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem.

Os defeitos deles são deles e não seus.

Se não são seus, não há razão para aborrecimento.

Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo o mal que vem de fora.

Isso é viver como as flores.


***********************************

Hoje é dia de S. Martinho que foi Bispo de Tours - França. séc IV. Filho de pais pagãos, foi soldado, depois baptizou-se e deixou a vida militar. Durante algum tempo foi monge. Foi sacerdote e foi eleito bispo de Tours - França onde exerceu a evangelização dos povos.
Fundou vários mosteiros para formação de monges.
Tinha uma grande caridade pelos pobres. Um dia deu metade da sua capa a um pobre para ele se cobrir e não ter frio
Que Deus te abençoe por intermédio de S. Martinho de Tours, te faça uma pessoa de Deus e de caridade.

P. Albano Nogueira

terça-feira, 3 de novembro de 2009

ONDE ESTÁ DEUS?



A questão de Deus preocupou sempre os humanos.


A reflexão sobre a morte, sobre o sentido da vida, foi a grande razão de ser da reflexão sobre Deus, como um ser transcendente.


A partir desta reflexão, Deus passou a ser cultuado, venerado, adorado, solicitado.
Os povos vão tendo ideias diferentes acerca da presença de Deus.
Deus pode ser visto de muitas maneiras:
- Para os índios, Deus é um elemento da natureza
- Para os gregos antigos, é um panteão de deuses com características humanas;
- Para os indianos, Deus é visto nos animais, como a vaca, o macaco.
- Para muitas confissões orientais, Deus é visto como energia.
- Para as religiões monoteístas, Deus é Único e um ser Pessoal.
- Para a filosofia, Deus é como o motor imóvel, elemento primordial, um ser metafísico.

A humanidade sempre precisou de Deus e sempre esteve presente na vida quotidiana como critério de acção, de comportamento, como fundamento para a organização humana.
Houve tempo em que a teologia e a religião é que orientavam todas as actividades humanas.


Com o tempo, a ciência e a técnica foram ganhando cada vez mais importância e libertando-se da influência do sagrado e as ciências passaram a seguir um caminho independente da teologia.
A razão humana (pensamento, inteligência) passou a orientar as principais dimensões do comportamento do mundo e humano.
Essa revolução na forma de compreender o mundo e a pessoa humana atingiu em cheio a religião provocando uma dessacralização do mundo e uma mundanização do sagrado.
A ciência e a técnica vão resolvendo muitos problemas das e Deus tornou-se menos necessário.
A razão passou a explicar melhor a realidade.


Houve uma aceitação de que ela era capaz de conduzir a humanidade à felicidade, pensando que a ciência e a técnica superariam todos os males da humanidade e construiriam uma situação de plenitude.


A fé que havia em Deus passou a ser, para muitos um acto de fé na razão, na inteligência humana, nas ciências humanas.
Mas as guerras e catástrofes continuam.
A morte de milhões de pessoas e a possibilidade de destruir a vida no planeta são uma realidade.
A segurança que se esperava da razão trouxe muita insegurança em todos os aspectos da vida humana.
A ânsia do lucro e a ganância levou a não haver ética, nem moral e toda a humanidade sofre de uma grande crise.
Perante esta sociedade fragmentada, perguntamos:
ONDE ESTÁ DEUS?
Para muitos pensadores
- Deus morreu;
- Outros o mataram;
- Para outros nunca existiu.


No entanto Deus continua vivo na crença de muitos fiéis e nos interiores das religiões.
Hoje continua a haver muitos cientistas que acreditam num ser transcendente.


Muitas religiões dizem que Deus está nas suas Igrejas; outras que está por aí, no mundo. Cada pessoa tem uma imagem de Deus e apresenta-O à sua maneira. Mas Deus nunca é só aquilo que Dele dizemos. É sempre muito mais...
Mas afinal,
ONDE ESTÁ DEUS? DEUS, ONDE ESTÁS?
Tu, meu amigo, minha amiga, procura perceber e perguntar:

ONDE ESTÁ DEUS PARA TI?


QUEM É DEUS PARA TI?


DEUS, ONDE ESTÁS?

EIS ALGUMAS RESPOSTAS POSSÍVEIS
1) Deus está no VERDE – Deus está em toda a criação harmonizada, respeitada e cultivada pelos homens e mulheres de boa vontade.
2) Deus está no BRANCO de todos aqueles que promovem a paz e a concórdia contra a guerra e a violência.
3) Deus está no VERMELHO, cor do sangue de quem luta pela justiça até às últimas consequências os sistemas que oprimem e escravizam a pessoa.
4) Deus está no PRETO da esperança que move o coração humano para o bem, na luta para que o Reino de Deus seja concreto no meio de nós.
5) Deus está no ROSA da defesa dos direitos humanos dos desfavorecidos
6) Deus está no AZUL dos pequenos e grandes gestos de solidariedade e compaixão que acontecem entre todas as criaturas
7) Deus está no AMARELO do coração dos que amam a verdade
8) Deus está no MARROM (termo brasileiro) de todos os que lutam para que todos tenham terra, trabalho, saúde, educação, lazer, para que todos tenham vida e vida em abundância.

1. Deus está nos pobres, nos que são marginalizados por causa da sua raça, cor ou condição moral.
2. Deus está na beleza da natureza, na luta pela paz e pela justiça, no sorriso das crianças e na bonita experiência dos idosos.
Deus está mais de nós do que imaginamos.
3. Ele está no irmão ao nosso lado e em cada pessoa.
4. O Deus de Jesus Cristo está também na Comunidade reunida em Seu nome para rezar, para celebrar, para viver a sua fé.


Tirado do livro "Deus, onde estás", Ed Loyola, S. Paulo, Brasil 2001)

****************************************************

5. O Deus de Jesus Cristo está presente também nos 7 sacramentos, especialmente na Eucaristia centro e cume de toda a Vida cristã católica, como presença real do Filho de Deus morto e ressuscitado no Pão da Vida.

6. Deus mora também no Templo, na igreja, no Sacrário, onde O podemos visitar, dialogar com Ele, adorá-Lo, pedir graças e bênçãos, pedir perdão.

7. O Deus cristão está presente na Bíblia, ou Sagrada Escritura palavra de Deus revelada aos homens, embora escrita por homens, mas Palavra de Deus porque inspirada, revelando-nos o projecto de Amor de Deus.

8. Deus está presente naqueles que escolhe: Papa, Bispos, Sacerdotes, Diáconos.

Deus está presente, eu é que ando distraído e não O encontro.............

Existe o DEUS PARA NÓS - Deus Pai.

Existe o DEUS CONNOSCO - Deus Filho - Jesus Cristo.

Existe o DEUS EM NÓS - Deus Espírito Santo, dentro de cada pessoa fazendo dessa pessoa templo, morada dá SS.ma Trindade.



P. Albano Nogueira