Número total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

ALGUMAS CORRENTES CULTURAIS HOJE

albanosousanogueira@sapo.pt

http://deixadeusentrar.blogspot.com


Em todas as culturas há elementos positivos e negativos.

Para um cristão católico, o critério de análise deveria ser o EVANGELHO DE JESUS CRISTO.
Estas correntes que vamos falar estão em franca oposição aos valores evangélicos e afectam as pessoas, as famílias, os jovens e toda a sociedade.

1- Corrente – MATERIALISTA/CONSUMISTA
“Tu vales pelo que tens e não pelo que és…”. Hoje é mais importante “ter” coisas materiais do que “ser” pessoa digna, justa, honesta, cumpridora dos seus deveres…

Escravatura das Modas: ganhar dinheiro, beleza corporal…. Consumismo…

2- Corrente - UTILITARISTA
“Tu vales se fores produtivo, se trabalhares…”. Importante é o “fazer”.

É útil quem produz, quem consome. Ser dona de casa não produz, logo não interessa…
Olha-se para o ser humano como se olha para uma máquina.

Se for velha, desadaptada, deita-se fora.

Os idosos devem ser arrumados; os fetos mal formados ser destruídos; uma gravidez indesejada deve acabar…
Ideal de mulher: ser esbelta, magra, bonita. Sem filhos…
Os pais fariam melhor não se preocupar tanto com o que vão deixar em herança aos filhos; mas preocupar-se no tipo de filhos que vão deixar no mundo…

3- Corrente – HEDONISTA
Hedonismo vem do grego – prazer. Doutrina que diz que o único bem é o prazer e o único mal é a dor. Coloca no prazer a felicidade humana.
O prazer é o bem único e supremo.
Faço o que me dá prazer, não faço o que não me dá prazer…
Ir às aulas, rezar, ir à catequese, ir à missa não dá prazer? Então não vamos…
O hedonista não quer compromissos, não quer sacrifícios. Nos namoros só que se quer os direitos de ser /ter namorado(a), mas não se querem os deveres, as obrigações, os compromissos de ser/ter namorado(a).
O que é preciso é diversão, beleza, cultura da imagem, aparência…
Cultura do prazer, do rápido, tudo a curto prazo, tudo descartável… Usa e deitar fora. Facilitismo: que tudo seja fácil, nada de esforço, de sacrifício…
Nas relações não se luta para as melhorar. Se algo corre mal, logo se descarta, se deixa e parte-se para outra…
Ser mãe dá trabalho, traz sacrifícios, dor, então não se tem filhos…

4- Corrente – RELATIVISTA
Diz que nada é absoluto, tudo é relativo à pessoa, aos seus gostos, aos seus apetites, aos seus desejos.
Esta corrente diz que não há valores universais: a moral é conforme a maioria, conforme me dá jeito, me convém, me agrada, etc…
Tudo está certo se o indivíduo quiser, se ele gostar desse jeito.
Na sexualidade se um homem gosta de homens, está tudo bem: Se uma mulher gosta sexualmente de mulheres, está tudo bem.
Cada um é que decide o que está bem e o que está mal… Cada um é o deus de si mesmo a quem se adora, a quem se fazem todas as vontades e caprichos…

5- Corrente – NIHILISTA
Esta palavra vem do latim – nihil= nada. Nada tem sentido, nada tem valor, nada dura para sempre, tudo é desprezível. O homem vem do nada e vai para o nada. Entre um nada e o outro nada só existe a matéria.
Comer e beber, gozar que tudo passa, tudo morre, tudo acaba…
Esta corrente nega a fé, Deus, a dimensão espiritual da vida humana.

6- Corrente – SECULARISTA
Esta corrente de pensamento põe de lado a ideia de Deus. Deus não tem nada a ver com o Homem, como duas linhas de comboio paralelas que nunca se encontram.
A religião é algo de ultrapassado, o homem é autónomo e não tem de dar contas a Deus.

7- Corrente - SUPER-MULHER
A mulher deve competir com o homem. A mulher não pode ficar em casa a olhar pela vida doméstica, pelos filhos, pelo marido. Deve ir trabalhar.
++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++


Meu irmão, minha irmã,
Pensa até que ponto estas correntes estão a afectar a tua família: casal e filhos.
E pensa também nas atitudes a tomar para infundir os valores cristãos à família: casal e filhos…

Aproveita a Quaresma para examinares a tua vida...

P. Albano Nogueira

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

ORAÇÃO: ENCONTRO COM DEUS



ORAR É: pedir, louvar, agradecer, interceder

1. ORAR É PEDIR –
Pedimos muitas coisas a Deus: somos pobres, precisamos de Deus e das suas garças.
Pedir com humildade, com confiança, em nome de Jesus, com insistência e sem desanimar.
Com a confiança de filhos que sabe que estão na presença de Deus Pai.
Oração do Pai-Nosso. Rezar e Meditar cada palavra…
Pedir perdão dos nossos pecados todos os dias…

2. ORAR É LOUVAR
Eu te louvo e bendigo ó Pai, Senhor do Céu e da terra…
Os simples e humildes de coração são capazes de louvar, como a criança admirada, espantada, maravilhados perante a grandeza de Deus, comovido diante do seu amor eterno e infinito, extasiado perante as belezas da criação.
Que a preocupação por ter coisas não nos roube esta capacidade de nos deleitar-nos com o amor de Deus mais do que com as coisas que Deus nos dá.
Louvor e adoração gratuitos, desinteressados.
Nesta oração Deus conta mais do que eu.
Estou mais centrado em louvar a Deus do que em pedir coisas.
Quando se ama alguém, saem naturalmente os elogios.
Se amamos a Deus devemos dizer-lhe essas palavras que exprimem a sua bondade, grandeza, poder, força, amor, misericórdia, perdão para connosco.
Eu sou uma obra das suas mãos e devia todos os dias louvar a Deus por isso.
Louvar, bendizer, adorar a Deus
- Porque Ele é Bom,
- Porque o Seu Reino não terá fim;
- Porque vai mudando a tua vida e a vai enchendo da sua presença.
- Louva-o também quando te sentes pobre, fraco, pois Ele é força e riqueza.

3. ORAR É AGRADECER –
Temos tantos motivos para dar graças a Deus que as palavras e mesmo a vida ficam muito curtas.
Jesus sentia e mostrava agradecimento pelas coisas grandes e pequenas da vida: tanto pela água da Samaritana, como pela amizade de Lázaro e suas irmãs. Agradecido pelo sol, pela chuva, pelas flores do campo, pelos pássaros do Céu. No profundo do seu coração, reconhecia que a vida, a Sua vida, era um dom.
O sentido da gratuidade e a da gratidão configuraram a sua vida e, por isso, procurava sempre realizar a vontade do Pai: porque a Sua vida lhe tinha sido dada.
A consciência de muitas bênçãos recebidas leva ao autêntico serviço e entrega ao Senhor.

(continua)
P. Albano Nogueira

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

CONHECER-ME PELA ORAÇÃO


A nossa oração não será autêntica oração se ficarmos em Deus, em Jesus Cristo sem nos conhecermos a nós mesmos, se a nossa vida continua igual.
O conhecimento próprio é fundamental para a vida ter mais gosto, mais sabor.
Sem o conhecimento próprio, nada de bom se pode começar, continuar e levar a cabo até ao fim.
É precisamente diante de Deus e de Jesus Cristo nos podemos conhecer melhor.
Sem Ele, a visão que tenhamos de nós mesmos é parcial e míope.
Na oração:
- Aprendemos a ver-nos como Deus nos vê.
- Descobrimos o Seu sonho sobre nós e a nossa realidade de pecado que nos impede de ser felizes e realizar o Seu pleno; a missão que nos confia.
- Teremos experiência de “ser morada onde sua majestade se deleita”. Sim, Deus alegra-se imensamente connosco, crê em nós, perdoa-nos sempre e respeita a nossa liberdade.
Na oração perguntar:
- Quem sou eu?
- Qual o sonho de Deus sobre mim?
- De que está cheio o meu coração?
- Em que é que eu gasto o meu tempo e o meu dinheiro?
- Quais são as minhas maiores preocupações?
- Qual o sentido, o rumo da minha vida?
- Quais são os meus defeitos e pecados?
- Quais são os meus vícios e dependências?
- Como vivo o amor de Deus por mim e como é o meu amor por Deus?
- Como é que eu amo ou ostros e me amo a mim mesmo?

Entrar em si mesmo, reflectir, rezar para me conhecer melhorar e perceber aquilo que pode e deve ser melhorado.

P. Albano Nogueira