Número total de visualizações de página

segunda-feira, 27 de julho de 2009

ORAÇÃO DA NOITE






Meu Pai,

agora que as vozes silenciaram e os clamores se apagaram, aqui ao pé da cama minha alma se eleva a Ti para dizer: creio em Ti, espero em Ti, amo-te com todas as minhas forças.

Glória a Ti, Senhor.

Deposito em tuas mãos a fadiga e a luta, as alegrias e desencantos deste dia que ficou para trás.

Se os nervos me traíram, se os impulsos egoístas me dominaram, se dei lugar ao rancor ou à tristeza, perdão, Senhor!

Tem piedade de mim.Se fui infiel, se pronunciei palavras vãs, se me deixei levar pela impaciência, se fui um espinho para alguém, perdão, Senhor!

Nesta noite, não quero me entregar ao sono sem sentir sobre a minha alma a segurança de tua misericórdia, tua doce misericórdia inteiramente gratuita, Senhor.

Eu te agradeço, meu Pai, porque foste a sombra fresca que me cobriu durante todo este dia.

Eu te agradeço porque - invisível, carinhoso, envolvente - cuidaste de mim como uma mãe, em todas estas horas.

Senhor, ao redor de mim tudo já é silêncio e calma. Envia o anjo da Paz a esta casa.

Relaxa meus nervos, sossega o meu espírito, solta as minhas tensões, inunda meu ser de silêncio e de serenidade.

Vela por mim, Pai querido, enquanto eu me entrego confiante ao sono como uma criança que dorme feliz em teus braços.Em teu nome, Senhor, descansarei tranquilo.

Assim seja.


(Autor: Frei Ignácio Larrañaga, em "Encontro")

quinta-feira, 23 de julho de 2009

ORAÇÃO DA MANHÃ





Senhor!

Enche de esperança o meu coração e doçura os meus lábios!

Põe em meus olhos a luz que acaricia e purifica;
Põe em minhas mãos, o gesto que perdoa.

Dá-me valentia para a luta,compaixão para as injúrias, misericórdia para a ingratidão e a injustiça.

Livra-me da inveja e da ambição mesquinha,do ódio e da vingança.

E que, quando eu voltar hoje para o calor de minha cama,possa, no mais íntimo de meu ser,sentir que estás presente.

Amém!


Autor: Frei Inácio Larrañaga.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

PENSAMENTOS DE FELICIDADE



1- A maior parte do sofrimento humano é um produto subjectivo, elaborado na nossa mente.
A maioria dos nossos temores, medos, sobressaltos e ansiedades brotam do fundo escuro da alma humana.
O fracasso, muitas vezes, é um produto mental. Não são setas disparadas do exterior, mas é a nossa mente que as dispara e nos faz sofrer.
2- Também há setas exteriores disparadas contra nós, pois somos seres de relação com os outros. Viver com os outros também pode ser fonte de sofrimento.
2.1. A inveja é a erva daninha e a que mais estraga as relações humanas. A Inveja é a grande causa de sofrimento de muita gente, mas poucos se dão conta da sua presença, por ela andar tão disfarçada.
2.2. Local de trabalho também pode ser fonte de sofrimento.
2.3. A vizinhança com as críticas, murmurações, boatos, exageros, invejas, ganância de querer o que é dos outros, é um lugar de sofrimento.
2.4. A própria família pode ser também um inferno de sofrimento. Relação entre marido e esposa, entre pais e filhos que fracassam nos estudos, no casamento, pela droga, marginalidade, etc…

SALVA-TE A TI MESMO
Salvação aqui não é no sentido teológico, a salvação já obtida por Jesus Cristo. Aqui significa libertação, salvar-se do medo, da angústia, do tédio, do sofrimento.
Só tu te podes salvar a ti mesmo eliminando a angústia, recuperando a tranquilidade de espírito e a alegria de viver.
Acredita em ti mesmo(a) e na tua capacidade de te salvares a ti mesmo(a): sentires segurança plena, nada de temor, de medos, ter calma, firmeza, liberdade. Isto, ninguém pode fazer por ti; só tu podes ser o salvador de ti mesmo(a) neste sentido.
A salvação não está nos consultórios dos psiquiatras nem nas farmácias, nem nos medicamentos (podem temporariamente ajudar). A solução está em teres fé em ti mesmo(a). Acredita em ti mesmo(a).
Só quem é amado tem capacidade de amar.
Só quem é livre consegue libertar.
Só pode ser instrumento de paz quem vive em paz consigo mesmo.
Os que sofrem fazem sofrer os demais.
Os fracassados têm tendência a fazer fracassar os outros.
Os ressentidos semeiam violência em seu redor.
Quem foi posto em conflito, põe em conflito.
Quem está em guerra consigo espalha guerra à sua volta
Quem não se aceita a si mesmo, não aceita ninguém.
Os que a si mesmos se rejeitam, rejeitam a todos.
Não podemos tornar os outros felizes se nós mesmos não formos felizes.
A nossa contribuição para a felicidade dos outros é proporcional à nossa própria felicidade.
Amaremos o próximo na medida em que aceitarmos e amarmos a nossa própria pessoa e a nossa história.
Amar o próximo COMO A SI MESMO.
SÊ FELIZ E CONTRIBUIRÁS PARA A FELICIDADE DOS TEUS IRMÃOS E TODOS OS OUTROS.

Autor: Frei Ignacio Larranaga

quinta-feira, 9 de julho de 2009

DA REGRA DE S. BENTO DE NÚRSIA


Ensinamentos de S. Bento para todos

CAPÍTULO 4 - Quais são os instrumentos das boas obras?
[1] Primeiramente, amar ao Senhor Deus de todo o coração, com toda a alma, com todas as forças.
[2] Depois, amar ao próximo como a si mesmo.
[3] Em seguida, não matar.
[4] Não cometer adultério.
[5] Não furtar.
[6] Não cobiçar.
[7] Não levantar falso testemunho.
[8] Honrar todos os homens.
[9] E não fazer a outrem o que não quer que lhe seja feito.
[10] Abnegar-se (esquecer-se) a si mesmo para seguir o Cristo.
[11] Castigar o corpo.
[12] Não abraçar as delícias.
[13] Amar o jejum (e a abstinência).
[14] Reconfortar os pobres.
[15] Vestir os nus.
[16] Visitar os enfermos.
[17] Sepultar os mortos.
[18] Socorrer na tribulação.
[19] Consolar o que sofre.
[20] Fazer-se alheio às coisas do mundo.
[21] Nada antepor ao amor de Cristo.
[22] Não satisfazer a ira.
[23] Não reservar tempo para a cólera.
[24] Não conservar a falsidade no coração.
[25] Não conceder paz simulada.
[26] Não se afastar da caridade.
[27] Não jurar para não vir a perjurar (negar o que se jurou).
[28] Proferir a verdade de coração e de boca.
[29] Não retribuir o mal com o mal. (Retribuir o mal com o bem.)
[30] Não fazer injustiça, mas suportar pacientemente as que lhe são feitas.

[31] Amar os inimigos.
[32] Não retribuir com maldição aos que o amaldiçoam, mas antes abençoá-los.

[33] Suportar perseguição pela justiça.
[34] Não ser soberbo.
[35] Não ser dado ao vinho.
[36] Não ser guloso.
[37] Não ser apegado ao sono.
[38] Não ser preguiçoso.
[39] Não ser murmurador.
[40] Não ser detractor (maldizente).
[41] Colocar toda a esperança em Deus.
[42] O que achar de bem em si, atribuí-lo a Deus e não a si mesmo.
[43] Mas, quanto ao mal, saber que é sempre obra sua e a si mesmo atribuí-lo.

[44] Temer o dia do juízo (quando vier a morte).
[45] Ter pavor do inferno.
[46] Desejar a vida eterna com toda a cobiça espiritual.

[47] Ter diariamente diante dos olhos a morte a surpreendê-lo.

[48] Vigiar a toda hora os actos de sua vida.
[49] Saber como certo que Deus o vê em todo lugar.

[50] Quebrar imediatamente de encontro ao Cristo os maus pensamentos que lhe advêm ao coração e revelá-los a um conselheiro espiritual.
[51] Guardar sua boca da palavra má ou perversa.

[52] Não gostar de falar muito.
[53] Não falar palavras vãs ou que só sirvam para provocar riso.

[54] Não gostar do riso excessivo ou ruidoso.
[55] Ouvir de boa vontade as santas leituras.
[56] Dar-se frequentemente à oração.
[57] Confessar todos os dias a Deus na oração, com lágrimas e gemidos, as faltas passadas e

[58] daí por diante emendar-se delas.
[59] Não satisfazer os desejos da carne.
[60] Odiar a própria vontade.
[61] Obedecer em tudo às ordens do Abade, mesmo que este, o que não aconteça, proceda de outra forma, lembrando-se do preceito do Senhor: "Fazei o que dizem, mas não o que fazem".
[62] Não querer ser tido como santo antes que o seja, mas primeiramente sê-lo para que como tal o tenham com mais fundamento.

[63] Pôr em prática diariamente os preceitos de Deus.

[64] Amar a castidade, a pureza contra a luxúria, abuso da sexualidade.
[65] Não odiar a ninguém.
[66] Não ter ciúmes.
[67] Não exercer a inveja.
[68] Não amar a rixa.
[69] Fugir da vanglória (vaidade).
[70] Venerar os mais velhos.
[71] Amar os mais moços.
[72] Orar, no amor de Cristo, pelos inimigos.
[73] Voltar à paz, antes do pôr-do-sol, com aqueles com quem teve desavença.

[74] E nunca desesperar da misericórdia de Deus.
[75] Eis aí os instrumentos da arte espiritual:

[76] se forem postos em acção por nós, dia e noite, sem cessar, e devolvidos no dia do juízo, seremos recompensados pelo Senhor com aquele prémio que Ele mesmo prometeu:

[77] "O que olhos não viram nem ouvidos ouviram preparou Deus para aqueles que o amam".

[78] São, porém, os claustros do mosteiro e a estabilidade na comunidade a oficina onde executaremos diligentemente tudo isso.


segunda-feira, 6 de julho de 2009

ORAÇÃO DA NOITE


albanosousanogueira@sapo.pt
http://deixadeusentrar.blogspot.com

Eu Te louvo, Senhor, de todo o coração,
Pelos dons que o Teu amor nos dá.
Graças, Senhor, pelo sol e pelo mar,
Pelos desertos, pelas planícies e montanhas
Porque é eterna a Tua fidelidade.

Graças, Senhor, pelas plantes e flores,
Por todos os animais, pelo pão de cada dia
Porque é eterna a Tua fidelidade.

Graças, Senhor, por em chamares à vida,
Pelos meus pais e família
Porque é eterna a Tua fidelidade.

Graças, Senhor, por todos os meus amigos
E pela alegria do convívio e da partilha
Porque é eterna a Tua fidelidade.

Graças, Senhor, pelas crianças e jovens,
Pelos adultos e idosos
Por todos os homens, meus irmãos
Porque é eterna a Tua fidelidade.

Graças, Senhor, pelas minhas vitórias e fracassos
Pelas minhas qualidades e limitações
Porque é eterna a Tua fidelidade.

Graças, Senhor, pelo meu irmão Jesus,
Pela mensagem que anunciou
Pela Igreja que fundou
Porque é eterna a Tua fidelidade.

Graças, Senhor, pela Tua presença no me caminho,
Pelo amor com que me amas
E pela herança a que me chamas
Porque é eterna a Tua fidelidade.

Graças, Senhor, por toda a criação
E pelos novos céus e a nova terra.
Graças por toda a história humana,
Que em Cristo será consumada
Porque é eterna a Tua fidelidade.

(Fonte fransciscana)

sexta-feira, 3 de julho de 2009

3 De JULHO – S. TOMÉ, APÓSTOLO



http://deixadeusentrar.blogspot.com

O dia 3 de Julho, na liturgia católica, é o dia do Apóstolo S. Tomé.
Este Apóstolo às vezes tem sido mal interpretado por causa das suas dúvidas. Mas as dúvidas podem ser boas e serem caminho de aprofundamento e de esclarecimento da fé.
“Às vezes quem duvida e faz perguntas, é muito mais honesto do que eu”, assim cantava o P. Zezinho.
Hoje há pessoas que acreditam em tudo, são crendeiras, supersticiosas. Não esclarecem a sua fé, não perguntam a quem sabe e acreditam em tudo o que ouvem na televisão acerca do fim do mundo, dos demónios, das bruxas e dos bruxos, das cartas, dos horóscopos, dos males de inveja, das pragas, encostos, dos boatos, das almas do outro mundo, das ferraduras, enfim de tanta coisa quase sempre mentira, ilusão, sem fundamento real.
Muita gente vive doente e não procura o lugar certo para curar os seus males de que sofrem.
Quem sofre da alma não deveria nunca deixar-se enganar por essas pessoas…
O mal da alma trata-se com fé, com esperança, com amor.
em Deus que nos ama, nos criou, nos quer bem. Ama-nos como o melhor dos pais, a melhor das mães.
Esperança no presente e no futuro, sem desanimar, sem perder a orientação, o rumo, a meta da vida que é a comunhão com Deus e com os outros.
Esperança no futuro deste mundo e no futuro que há-de vir depois da morte.
Amor, caridade, amizade. Amar e ser amado, mas amado a sério. Não me refiro a sexo, mas ao verdadeiro amor de amizade.
Quem não acredita no verdadeiro Deus revelado por Jesus Cristo, vai acreditar em substitutos (ídolos: fama, poder, dinheiro, sexo, álcool, drogas, divertimento, compras, cartas, horóscopos, bruxaria, etc…)
Quem não espera no verdadeiro Deus, vai esperar das pessoas e das coisas o que eles e elas não podem dar (a salvação).
Quem não ama e não é amado segundo o jeito de Jesus Cristo, vai meter-se pelos caminhos da perdição.
S. Tomé, depois de esclarecido, fez uma bonita confissão de fé: “MEU SENHOR E MEU DEUS”.
Olha para S. Tomé e aprende a acreditar, a esperar e amar ao jeito de Jesus Cristo, meu irmão, minha irmã e não te deixes iludir, nem enganar, nem seduzir pelos erros de tanta teoria e doutrina…
Que Deus te abençoe.

P. Albano Nogueira