Número total de visualizações de página

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A REALIZAÇÃO PESSOAL (cont)

(continuação do anterior)

A mulher casada que espera sempre um elogio do marido;
o pregador que não descansa enquanto não for elogiado pelos paroquianos, manifestam insegurança.
As pessoas inseguras mendigam afirmação .
Têm necessidade de contar tudo, para serem aprovadas e afirmadas.
As mais ténues observações de crítica ou de repreensão destroem-nas e lançam-nas em alarmante choro.
Assumir e aceitar com calma e coragem ser o alvo ou objecto de piada, de alguma brincadeira de bom humor, é sinal de maturidade.
O bom humor é sinal de equilíbrio.
E levar a vida a sério demais, vendo tudo através de óculos escuros de angústia pessimista e derrotista, é sintoma de desequilíbrio, especificamente de um perfeccionismo sado-masoquista.
----
Na lata do lixo - Há pessoas que se detestam, se rejeitam.
Tão atormentado desejo de rejeição pode ter origem na sua não aceitação pela mãe desde que a pessoa nasceu.
Sentir a rejeição é experimentar a morte, ser incapaz de enfrentar a vida, sentir desamparo e abandono.
A virtude começa no amar-se a si para ter a medida de amar "o seu próximo".
----
Agradar aos outros - A insegurança manifesta-se na necessidade de agradar aos demais por meio de contínuas e inoportunas gentilezas de palavras, de valorização e engrandecimento de alguém considerado mais poderoso e mais importante.
São os aduladores.
São os que pensam que o seu valor está em agradar aos demais.
O adulador, depois da sua acção tem:
- sentimento de culpa;
- é dirigido pela conformidade servil e ignóbil;
- precisa de ouvir as aprovações de alguém; é solitário;
- vive minado e roído pela depressão;
- é incapaz de aceitar homenagens e não acredita em cumprimentos e elogios;
- abdica da própria identidade;
- perito a usar máscaras.

Conservador - progressista ou em cima do muro -
Quando se tem a certeza do sucesso a segurança dá tranquilidade e firmeza no enfrentar as situações da vida e no confronto com as pessoas. Quando não surge o sucesso as pessoas podem ser:
- progressistas, super-confiantes, decididos a soluções rápidas e imediatas. Nada de vacilar.
- Conservadoras, pachorrentas e tímidas.
Lema: devemos ser prudentes, nada de mudar.
Teme o risco da mudança e o confronto com a tomada de decisões.
(continua)

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

A PESSOA INSEGURA

----------------------------------

Perfil psicológico do inseguro =
Manifestações psíquicas da insegurança:
- subservientes e submisso e ao contrário, capaz de manipular superiores e patrões.
- A pessoa insegura é desajeitada e inadequada.
Tem sonhos de omnipotência mágica, infantil e fantasiosa.
Pode ter uma submissão, uma docilidade tão falsa e tão cega que se torna ridícula, mas que lhe serve para comprar atenção e para se impôr.
Pode ser bajuladora para conseguir vantagens.
- Tem fortes dúvidas e inquietantes hesitações por causa dos seus sentimentos e que não demonstra, mas mascara com atitudes de arrogância.
- As críticas alheias desmoronam-na e desconcertam-na por dias e semanas.
Por isso, faz tudo para evitar ser criticada.
A opinião alheia abala-a.
Vive angustiada com o "que dirão os outros".
Como não tem segurança dentro de si, precisa de muletas, que são as opiniões dos outros.
Pode ser também teimosa defendendo o seu minúsculo "eu".
Foge de aniversários ou de homenagens, mas queixa-se amargamente se a esquecem.
- Na relação com as pessoas, é desconfiada, formando uma conduta sentimentalista e cheia de melindres.
Como é insegura precisa sempre de alguém que a proteja, a defenda, a aconselhe, a aplauda e a estimule.
- O inseguro é carcomido pela necessidade de sobressair dos demais.
- Em relação aos próprios sentimentos, ora é alienado, não tendo a certeza do que gosta e do que o aborrece, do que tem medo ou lhe causa ressentimentos, ora expõe os seus desejos e planos sem freios e numa linguagem infantil.
Convence-se que não merece ser amado e de que é incapaz de aceitar que o amem.
Não consegue manifestar sentimentos de amor por alguém.
Diante de um fracasso, arma-se de derrotismo e vê uma tragédia em tudo.
- O inseguro isola-se, sem vibrar com os outros; outras vezes tem eufóricas explosões de riso quando mais ninguém está a rir.
- Sente-se bem andando com crianças ou com adolescentes .
Mas se alguém lhe aponta a imaturidade, o infantilismo, magoa-se e ofende-se até às lágrimas.
A insegurança (com diversidade de graus) está presente ao longo de toda a vida da pessoa.
Pode estar mascarada de muitas maneiras: autoritarismo ou, pelo contrário, excesso de permissividade.
O boneco de vidro - O boneco de vidro é extremamente vulnerável; a menor pancada o reduz a estilhaços.
Por isso, deve ser manipulado com mãos de veludo.
O indivíduo inseguro desmorona-se à menor oposição ou contrariedade.
O boneco de vidro não suporta pancadas.
A opinião dos outros é suficiente para atingir a vulnerabilidade do inseguro.
É que se sente carente de aprovação e afirmação.
São pessoa vorazes de aprovação e de atenção.
Ao executarem alguma tarefa ficam em suspenso aguardando a aprovação e o elogio dos outros, provocando-os até com olhares ansiosos.

Tirado de PIO JOSÉ SOLDERA, Dinâmicas de realização pessoal, Ed. A.O., Braga, 1991.

(Continua)