Número total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

ALGUMAS CORRENTES CULTURAIS HOJE

albanosousanogueira@sapo.pt

http://deixadeusentrar.blogspot.com


Em todas as culturas há elementos positivos e negativos.

Para um cristão católico, o critério de análise deveria ser o EVANGELHO DE JESUS CRISTO.
Estas correntes que vamos falar estão em franca oposição aos valores evangélicos e afectam as pessoas, as famílias, os jovens e toda a sociedade.

1- Corrente – MATERIALISTA/CONSUMISTA
“Tu vales pelo que tens e não pelo que és…”. Hoje é mais importante “ter” coisas materiais do que “ser” pessoa digna, justa, honesta, cumpridora dos seus deveres…

Escravatura das Modas: ganhar dinheiro, beleza corporal…. Consumismo…

2- Corrente - UTILITARISTA
“Tu vales se fores produtivo, se trabalhares…”. Importante é o “fazer”.

É útil quem produz, quem consome. Ser dona de casa não produz, logo não interessa…
Olha-se para o ser humano como se olha para uma máquina.

Se for velha, desadaptada, deita-se fora.

Os idosos devem ser arrumados; os fetos mal formados ser destruídos; uma gravidez indesejada deve acabar…
Ideal de mulher: ser esbelta, magra, bonita. Sem filhos…
Os pais fariam melhor não se preocupar tanto com o que vão deixar em herança aos filhos; mas preocupar-se no tipo de filhos que vão deixar no mundo…

3- Corrente – HEDONISTA
Hedonismo vem do grego – prazer. Doutrina que diz que o único bem é o prazer e o único mal é a dor. Coloca no prazer a felicidade humana.
O prazer é o bem único e supremo.
Faço o que me dá prazer, não faço o que não me dá prazer…
Ir às aulas, rezar, ir à catequese, ir à missa não dá prazer? Então não vamos…
O hedonista não quer compromissos, não quer sacrifícios. Nos namoros só que se quer os direitos de ser /ter namorado(a), mas não se querem os deveres, as obrigações, os compromissos de ser/ter namorado(a).
O que é preciso é diversão, beleza, cultura da imagem, aparência…
Cultura do prazer, do rápido, tudo a curto prazo, tudo descartável… Usa e deitar fora. Facilitismo: que tudo seja fácil, nada de esforço, de sacrifício…
Nas relações não se luta para as melhorar. Se algo corre mal, logo se descarta, se deixa e parte-se para outra…
Ser mãe dá trabalho, traz sacrifícios, dor, então não se tem filhos…

4- Corrente – RELATIVISTA
Diz que nada é absoluto, tudo é relativo à pessoa, aos seus gostos, aos seus apetites, aos seus desejos.
Esta corrente diz que não há valores universais: a moral é conforme a maioria, conforme me dá jeito, me convém, me agrada, etc…
Tudo está certo se o indivíduo quiser, se ele gostar desse jeito.
Na sexualidade se um homem gosta de homens, está tudo bem: Se uma mulher gosta sexualmente de mulheres, está tudo bem.
Cada um é que decide o que está bem e o que está mal… Cada um é o deus de si mesmo a quem se adora, a quem se fazem todas as vontades e caprichos…

5- Corrente – NIHILISTA
Esta palavra vem do latim – nihil= nada. Nada tem sentido, nada tem valor, nada dura para sempre, tudo é desprezível. O homem vem do nada e vai para o nada. Entre um nada e o outro nada só existe a matéria.
Comer e beber, gozar que tudo passa, tudo morre, tudo acaba…
Esta corrente nega a fé, Deus, a dimensão espiritual da vida humana.

6- Corrente – SECULARISTA
Esta corrente de pensamento põe de lado a ideia de Deus. Deus não tem nada a ver com o Homem, como duas linhas de comboio paralelas que nunca se encontram.
A religião é algo de ultrapassado, o homem é autónomo e não tem de dar contas a Deus.

7- Corrente - SUPER-MULHER
A mulher deve competir com o homem. A mulher não pode ficar em casa a olhar pela vida doméstica, pelos filhos, pelo marido. Deve ir trabalhar.
++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++


Meu irmão, minha irmã,
Pensa até que ponto estas correntes estão a afectar a tua família: casal e filhos.
E pensa também nas atitudes a tomar para infundir os valores cristãos à família: casal e filhos…

Aproveita a Quaresma para examinares a tua vida...

P. Albano Nogueira

1 comentário:

  1. Claro que tem toda a razão senhor padre, é o que se constata no dia a dia. A própria sociedade, proporciona e obriga os indivídos a procederem e a pensarem assim, sobretudo se não forem crentes. No trabalho é uma competividade infernal, não é por acaso que cada vez mais pessoas recorrem à psiquiatria e à psicologia. Os donos das empresas, e seus directores, fomentam e impõem a obrigação de produzir cada vez mais e melhor. Oa que não conseguem são ostracisados e penalizados. Há horas para entrar,
    mas não há horas para sair.Os jovens tem trabalho precário, o que faz com que vão casando cada vez mais tarde e subsequentemente, tendo filhos cada vez mais tarde também. As crianças são deixados nos infantários e nos colégios cada vez mais tempo, ou ocupam-nas com tempos "livres"
    Veem os pais sempre tarde. As refeições são cada vez menos um tempo de convívio, porque há que deitar a horas certas, porque no outro dia voltamos à rotina. Os pais são cada vez menos pais e os filhos sentem isso. É a sociedade que temos abrupta e decadente, onde Deus às vezes tem um pequenino lugar, infelizmente!
    Maria

    ResponderEliminar