Número total de visualizações de página

domingo, 29 de janeiro de 2012

SIMÃO PEDRO, O PRIMEIRO PAPA

30. Porque é que Jesus mudou o nome de Simão para Pedro?
Diz o Evangelho que Simão tinha o apelido de Cefas, que, em hebreu, significa «pedra» ou «rocha», ou seja, o mesmo que significa pedro. Para as pessoas do país de Jesus, o nome é importante, indicando muitas vezes a «vocação» daquele que o utiliza, aquilo que ele deverá fazer na vida.
Jesus chamou doze apóstolos e, para que eles se mantivessem unidos na fé, decidiu que Simão seria o seu apoio. Uma rocha é algo sólido, sobre o qual é possível construir. Pedro não é o patrão dos Apóstolos, uma espécie de «superapóstolo», mas sim aquele que cuida da unidade do grupo na fé.
Um dia, contudo, a rocha que era Pedro negou o seu Mestre. Mesmo antes desse abandono, Jesus tinha-lhe dito: «Antes de o galo cantar, negar-Me-ás três vezes» (Mateus 26, 34). Ele sabia que Pedro era fraco mas, apesar disso, perdoou-lhe, para que ele pudesse continuar a desempenhar o seu papel.
Hoje em dia, é o Papa que assume essas funções, mantendo a Igreja unida. Chamamos-lhe «o sucessor de Pedro», porque ele é, antes de mais, o bispo da cidade de Roma, onde, no ano 64, o apóstolo Pedro foi martirizado.

31. Porque é que Jesus escolheu Apóstolos?
Deus não quer fazer nada sem os seres humanos. Quando jogas às damas, és tu que mexes nas peças e que decides as tuas jogadas. E as peças deixam-se manipular. Deus quis sempre ter necessidade dos seres humanos por amizade, porque confia neles. Nós não somos peças que Ele manipula, mas seres livres que colaboram. Logo no princípio da Bíblia, vemos que Deus confia o jardim ao ser humano. E também foi logo no princípio que Jesus escolheu Apóstolos para O acompanhar.
Mas há uma outra explicação. O que é que Jesus veio fazer à Terra? São João responde: unir os filhos de Deus que andavam dispersos (João 11, 52). Ao chamar os Apóstolos, Jesus começou essa união, oferecendo-nos assim como que uma parábola viva, um modelo de comunidade. E a primeira regra é que cada um se coloque ao serviço dos outros (Lucas, 22, 37). Um dia, houve quem dissesse ao ver os primeiros cristãos: «Vede como eles se amam!» A melhor maneira de anunciar o Evangelho é dar testemunho do amor mútuo.
Depois da Páscoa, na altura de regressar para junto do Pai, Jesus enviou os Apóstolos em missão pelo Mundo inteiro. Essa mensagem de Jesus aplica-se, porém, a toda a humanidade, porque Ele precisa de discípulos que espalhem a Boa Nova e são eles que devem continuar a sua obra. Sozinhos? Não totalmente, Jesus deu-lhes o Espírito Santo e prometeu ficar com eles até ao fim dos tempos (Mateus 28, 20).

Sem comentários:

Enviar um comentário