Número total de visualizações de página

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

CORTESIA E BOAS MANEIRAS -21


O teu porte
 
É este o índice mais expressivo para a avaliação do ambiente em que uma pessoa nasceu e foi educada.
Jovens há que, quase naturalmente, têm um porte distinto; outros, porém, qualquer que seja a condição social da família parecem sempre grosseiros.
 
- Habitua-te a conservar-te direito, evitando os dois excessos: a atitude mole dos que parecem não serem dotados de espinha dorsal, e por isso deixam cair os ombros para a frente; e a atitude dos que têm toda a aparência de bonecos articulados, sem agilidade nem leveza, com movimentos bruscos que se diriam impulsionados por molas.
É preciso mostrar desenvoltura, franqueza, naturalidade, e um certo grau de elasticidade próprio da idade juvenil.
 
- Conserva a cabeça bem levantada mas não com ares de desafio.
Evita mantê-la encolhida entre os ombros o que dá um ar triste e bisonho.
Não a vires continuamente da direita para a esquerda, como um boneco.
A expressão do rosto não deve ser dura, carrancuda ou aborrecida; muito pelo contrário, deve ser branda, aberta, sorridente, juvenil.
 
- Lembra-te de que os olhos são o espelho da alma: olhar a um tempo franco, discreto e modesto.
Não fites as outras pessoas descaradamente, com uma insistência que dá a ideia de lhes quereres perscrutar os mais recônditos escaninhos da alma.
 
- A boca deve manter-se ordinariamente fechada (é mais higiénico respeitar pelos nariz) e sorridente.
Mesmo quando nos rimos – e isto particularmente em sociedade – evitar gargalhadas que se ouvem de uma ponta a outra da casa.
É conveniente evitar: os assobios, meter os dedos na boca para emitir silvos agudos, resmungar continuamente o que quer que seja por entre dentes, e mastigar eternamente pastilhas elásticas.
 
- Muita atenção aos braços e às mãos.
Um actor inexperiente dá-se a conhecer pelo facto de não saber «onde meter as mãos».

Não se colocam as duas ao mesmo tempo nos bolsos das calças ou do casaco, nem atrás das costas, nem nas ancas como o fazem as vendedeiras da praça.
Não se agitam os braços em todos os sentidos nem se estiraçam ao mesmo tempo que se espreguiça todo o corpo, abrindo a boca em estrepitosos bocejos.
Nunca, por motivo algum, bater em quem quer que seja e também não permitir brincadeiras de mãos, tais como bofetadas, beliscões, cócegas, empurrões – todas estas coisas são indícios de grosseria.
 
- Quando te sentares, não descaias languidamente sobre a cadeira, nem te balouces encostando-te ao espaldar da mesma. Além de tudo o mais, é perigoso.
 
- Quando vais pela rua, não caminhes distraidamente com risco de embateres contra outra pessoa ou de pôr à prova os travões de um automóvel.
Hoje, principalmente com o tráfico vertiginoso das cidades, ao caminharmos devemos conservar os olhos bem abertos e seguir atentamente as indicações do trafego das estradas: semáforos, guias, setas de circulação, evitando embates, atropelos e empurrões.
 

Sem comentários:

Enviar um comentário