Número total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

O SACRÁRIO

Hoje é o dia de S. Francisco de Assis que fundou os Franciscanos.
Um dos maiores santos de todos os tempos.
S. Francisco dizia: "O Amor não é amado..."
S. Francisco de Assis, rogai por nós.
 
 
 
O que é aquela caixa que está nas igrejas com uma luz ao lado?
       Essa «caixa» chama-se sacrário ou tabernáculo, palavra esta que vem do termo latino para «tenda». É o sacrário que contém as hóstias consagradas – ou reserva eucarística – que sobram depois da celebração da Eucaristia.
O principal objectivo dessa reserva é ter sempre hóstias consagradas para os doentes, sobretudo em fim de vida, que assim poderão, antes da sua grande passagem, comungar uma última vez.
Jesus disse: «O que come deste pão viverá eternamente» (João 6, 58). A essa última comunhão chama-se «viático», uma palavra de origem latina que significa «caminho».
É pão de Deus, onde Jesus Cristo está realmente presente, para a etapa final da grande viagem até Deus.
A pequena luz ao lado é a da «lamparina do sacrário», que chama a atenção para a presença real de Cristo no pão guardado no sacrário. Com efeito, para os cristãos, esse pão já não é o pão comum. Ele é o Corpo de Cristo, a sua vida entregue por nós na cruz na sexta feira santa.
Muitas vezes, as pessoas, ao passarem à frente do sacrário, inclinam-se ou fazem uma genuflexão (tocam com um dos joelhos no chão).
Por vezes, vão rezar em silêncio na igreja ou numa capela onde esteja um sacrário. Noutras ocasiões «expõe-se» o Santíssimo Sacramento, ou seja, as hóstias consagradas, num tempo de oração a que se chama «adoração eucarística».
Para os cristãos, o Santíssimo Sacramento é o sinal de que Jesus foi fiel à sua promessa de que estaria connosco todos os dias até ao fim dos tempos (Mateus 28, 20).

Sem comentários:

Enviar um comentário