Número total de visualizações de página

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

QUE DEUS É ESTE?



"Que Deus é este que nos ensina a humildade, mas que não desce de seu pedestal, e a quem devemos obediência, respeito, lealdade e fé?"

Recebi este comentário e vou tentar responder.


Quando falamos de Deus, o cristianismo ensina que Deus é uma Família: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
Assim, é sempre bom distinguir se falamos do Pai, do Filho ou do Espírito Santo, embora, muitas vezes possamos falar simplesmente de Deus. Neste caso, eu vou distinguir para responder à questão que me foi posta por um anónimo.

* * * * * * * * * * * * * *

Celebramos há pouco tempo o Natal que nos recorda precisamente a Encarnação (ou Incarnação)do Verbo, da Palavra, do Filho de Deus que é Deus de Deus, Luz da Luz, quer dizer é Deus como o Pai. O Verbo encarnou, o Filho encarnou, fez-se humano e falou e viveu ao jeito humano igual em tudo menos no pecado.



Ou seja, no Filho, Deus desceu verdadeiramente do seu pedestal, do seu silêncio, da sua distância, da sua indiferença e tornou-se próximo, amigo, companheiro fiel, solidário connosco.

Se o Verbo, o Filho de Deus, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade encarnou, isto tornou Deus visível, presente no meio de nós (há 2009) anos de forma bem real em Jesus Cristo: fazendo o bem, sarando, curando, perdoando, ensinando, amando, sofrendo, chorando, rindo, comendo e até morrendo como nós. Não podia descer mais do pedestal e fazermos mais solidário connosco.

Deus (na pessoa do Filho) até sofreu e morreu como nós mas dar sentido ao nosso viver e ao nosso morrer.

É por isso que este Deus em que eu acredito é tão maravilhoso e tão atraente que, sendo grande, se fez pequeno, sendo rico se fez pobre, sendo poderoso se fez fraqueza para não esmagar os humanos com a Sua grandeza e o Seu Poder, mas para atrair a si pela ternura e pelo amor encarnado em jesus Cristo e nos seus seguidores; veio à terra para dar a mão e levantar os humanos das suas fraquezas e os elevar a uma condição excepcional: torná-los filhos adoptivos dando-lhes todos os bens materiais e os bens espirituais e candidatando-os a receber a herança máxima dos filhos de Deus: a salvação e a felicidade eterna.



Isto foi há 2009 anos. Agora temos de ser nós (eu e tu) a mostrar Deus, a torná-lo presente no mundo através de todo o bem que possamos fazer para sermos já felizes neste mundo.

Deus, o cristianismo são propostas de vida: ensinam-nos o caminho da felicidade e da salvação. Depois, cada um é que tem caminhar por si mesmo na total liberdade fazendo as escolhas que entender. Um dia será responsável por essas escolhas, como acontece já neste mundo.

Como um bom pai e uma boa mãe ensinam o bom caminho aos seus filhos, mas os filhos (e infelizmente muitos o fazem) não seguem o caminho do bem indicado pelos pais e seguem caminhos do mal que os pode levar à infelicidade, à tristeza e ao sofrimento sem sentido.

Deus ama-nos tanto que respeita a nossa liberdade de forma total.

Jesus Cristo (para quem O conhece) é o Caminho para a pessoa ser feliz. Deus não obriga a amá-l'O, a respeitá-l'O, a obedecer, a acreditar. Muitos não o fazem.

Sou eu e tu que temos de escolher, sabendo nós o caminho ensinado por Jesus Cristo e continuado pela Igreja Católica e por muitas outras religiões, podendo segui-l'O ou não.
Obrigado a quem perguntou que ajuda outros a tirar as suas dúvidas.

P. Albano Nogueira



1 comentário:

  1. Parabéns Sr. Padre por ter este blogue, sinto que pretende ir ao encontro dos seus irmãos. Bem-Aventurado é o pastor que procura as suas ovelhas.
    Para min Deus não é complicado, está dentro de min, sou seu filho, sinto-o em cada momento, em cada minuto, espera de min grandes gestos, atitudes e vitórias, para isso vim a este mundo e esforço-me por O não o decepcionar.

    ResponderEliminar