Número total de visualizações de página

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

PARA QUE "SERVE" DEUS?


Consulte o meu outro blog





PARA QUE SERVE ACREDITAR EM DEUS?
PARA QUE SERVE REZAR?
PARA QUE SERVE PRATICAR A RELIGIÃO?

Muitos acreditam em Deus e são felizes; outros não acreditam em Deus e são felizes também. Muitos acreditam em Deus e são infelizes; outros não acreditam em Deus e não são infelizes também.
Penso que a fé em Deus não traz automaticamente a felicidade e não acreditar em Deus não traz automaticamente a infelicidade. A felicidade do viver de cada um depende muito da forma como encaramos a vida, os outros, as coisas, os acontecimentos, as contrariedades, as dificuldades.
Para que serve acreditar em Deus?
Teríamos de dizer desde já que o verbo “serve” está mal usado. Não se deve aplicar a Deus. Deus não é um objecto que sirva ou não sirva para algo. O mesmo se pode dizer de uma pessoa: uma pessoa não existe para “servir” para alguma função como um objecto serve: um carro, Tv, computador servem para isto ou para aquilo.
Deus é um ser superior e não pode ser entendido no sentido de “servir” para algo. Deus é um Ser que existe (é o que dizem os que acreditam) e a sua importância está em DAR MAIS SENTIDO À VIDA E MAIS SENTIDO À MORTE.
Deus não existe para resolver os nossos problemas. Deus não “serve” para resolver as dificuldades, as doenças, as contrariedades, as aflições, os sofrimentos e as crises da vida. Esta é uma ideia presente em muitas cabeças, mas uma ideia errada de Deus. Deus não existe para compensar aquilo que nós não somos capazes de fazer, e aquilo que não somos capazes de resolver.
Muita gente pensa que Deus "serve" para nos ajudar, no curar, fazer milagres, resolver os problemas que nós não conseguimos resolver...
Claro que podemos e devemos pedir ajuda a Deus sempre que precisarmos. Mas não fiquemos à espera que Deus venha resolver todos os nossos problemas do jeito que nós queremos... Deus não "serve" para isso. Deus ajuda-nos dando-nos sabedoria, força, coragem, inteligência para resolver os problemas que a vida nos apresenta e contando também com a ajuda dos outros. Deus também nos ajuda pelos outros. Mas não esperemos a solução dos nossos problemas cruzando os braços e esperando que Deus faça tudo... Nós temos de fazer sempre a nossa parte, esperar que, se for da vontade e do plano de Deus as coisas aconteçam como nós pedimos, mas se não acontecer, não devo dizer: "pedi ajuda a Deus para os meus problemas e Deus não me ajudou, ficou tudo na mesma... Estou desiludido...".
Se isto se passar consigo, quero dizer-lhe que a sua ideia de Deus está um pouco distorcida, tremida, incorrecta e quem tem de mudar não é Deus, mas a sua imagem de Deus é que tem de mudar...

No meu ponto de vista, Deus deve ser entendido nesta dimensão: a minha vida tem mais sentido, mais significado, mais grandeza se eu acreditar no Deus da Bíblia revelado em sobretudo em Jesus Cristo. E a minha morte, sem Deus, perde todo o seu sentido, torna-se um fracasso, uma frustração, um absurdo. Com Deus, a morte ganha sentido, ganha significado, como uma porta de entrada noutra dimensão da vida humana.
Diríamos então, vale a pena acreditar em Deus para que a minha vida e a minha morte nunca sejam um absurdo, uma frustração, um sem sentido; mas algo pleno de sentido, quaisquer que sejam as circunstâncias que rodeiam a minha vida e a minha morte.
Entre viver e morrer com pouco ou nenhum sentido; e viver e morrer com todo o sentido, eu prefiro viver e morrer com todo o sentido que me vem da minha fé no Deus Criador, no Deus da Vida, no Deus Amor, no Deus Salvador.
Hoje é o Dia Mundial do Doente e dia das aparições de Nossa Senhora de Lourdes- França - 11 de Fevereiro.
Que Deus te abençoe a ti que sofres, meu irmão e minha irmã e te ajude nas tuas dificuldades e doenças, por meio de Nossa Mãe Santíssima.

Padre Albano Nogueira

1 comentário:

  1. Li com atenção o seu post.
    Se me permite, vou expôr algumas ideias construtivas sobre o assunto... porque vou partir do principio que, ao submeter as suas aqui no post, pretende que os comentários surjam...

    Então é assim:

    Pessoalmente acredito num Deus, é certo.
    "Deus é um ser superior e não pode ser entendido no sentido de “servir” para algo. Deus é um Ser que existe (é o que dizem os que acreditam) e a sua importância está em DAR MAIS SENTIDO À VIDA E MAIS SENTIDO À MORTE."
    A minha questão é: Como ?
    A morte, por exemplo, tem o sentido que tem, com Deus ou sem Deus. Deus não interfere na incapacidade do homem permanecer vivo, ou seja, não interfere na morte. Quando se fala em "uma morte com sentido" fala-se erradamente no espirito de sacrificio que norteou uma vida, ou seja, está a confundir-se o conceito de vida e de morte.
    Não se morre com sentido. Morre-se simplesmente.
    Viver com sentido, isso sim, é uma coisa diferente. Existe um tempo para viver onde as acções pesam, as decisões pesam, as consequências pesam. Aqui, tem lógica dizer que um Deus ( qualquer Deus ) faz todo o sentido, se isso condiciona o juizo moral dos homens.

    Queria ainda expressar-lhe uma outra opinião ( e repito, assumo-me como cristão ).

    A morte é uma incongruência, uma vírgula que destoa na eternidade. A morte, enquanto intervalo de cinema, enquanto pausa de café, enquanto intervalo entre duas vidas... é absurda.
    A igreja já encarou a morte sob muitas perspectivas, mas eu vou acrescentar mais uma, perdoe esra aparente falta de modéstia. Não é essa a intenção.

    A vida é sagrada, e ninguém a pode tirar, nem o próprio a si mesmo. Concordo.
    Permitir a morte de alguém, ou a própria morte, independentemente do motivo... não pode ser tolerado.

    E, pela mesma lógica, o contrário, a criação de vida em laboratório, o brincar de Deus também o é.

    E, no entanto, Ele trouxe Lázaro de novo à vida... interrompendo o processo normal de todas as coisas.

    Ou seja, Ele "serviu" para cumprir um desejo expresso, um pedido.

    Já meditou nisto ?

    ResponderEliminar