Número total de visualizações de página

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

ORAR = REZAR


Consulte o meu outro blog:
http://deixadeusentrar.blogspot.com
albanosousanogueira@sapo.pt.


Rezar é muito mais escutar a Deus do que falar.
Nós quase sempre fazemos o contrário: falamos e queremos que Deus nos escute e nos escute obedecendo ao que Lhe pedimos.
Claro que orar também é falar com Deus. Ter presente que Deus se relaciona comigo e que eu tenho todas as condições de O entender e de falar com Ele.
Neste relacionamento com Deus eu sou criatura d’ Ele e Ele é o Criador. A presença de Deus na minha vida é necessária para eu me entender como pessoa, gostar da minha vida e estar bem comigo mesmo. E Deus sempre se antecipa a nós, toma sempre a iniciativa.
Quando eu tenho vontade de fazer o bem, isso já é uma reacção à iniciativa de Deus. Quando começo a olhar a realidade desta forma, vejo em tudo momento de orar e agradecer a Deus.
Não existem escolas ou mestrados em oração.
A arte de dialogar e amar a Deus sobre todas as coisas é um caminho que se faz ao longo de toda a vida, com altos e baixos. A oração é uma actividade às vezes fácil e às vezes difícil ao mesmo tempo.
Orar é um exercício que exige treino, hábito, persistência, como quem treina uma actividade desportiva.
Levar a sério o exercício de rezar, não apenas de vez em quando, quando se sente bem, ou se tem necessidade, mas sempre. Jesus disse: “Rezai sem cessar para não caírdes em tentação” (Mt 26,41). S. Paulo repete as mesmas palavras do Mestre: “Orai sem cessar” (1Ts 5,17).
Orar, para muitos, é difícil porque é necessário conciliar a rotina diária com a necessidade de se aprofundar na oração. Mas necessitamos encontrar, durante o nosso dia, tempo para as coisas importantes. Se orar é importante, e eu penso que é, então antes do trabalho tenho que reservar um momento do meu dia, e em todos os dias, para a oração.
Quando eu tenho um momento de oração, ele vai perpassando toda a minha vida. Falo a partir de minha experiência pessoal: temos que ter um momento para oração, em que nos sirvamos de uma leitura espiritual, do terço, da Palavra de Deus, da Eucaristia.
Não basta ter momentos de oração. Importante é ter vida de oração para orientar toda a vida segundo a vontade de Deus. S. Paulo diz: “Quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra actividade, fazei tudo para a maior glória de Deus.
A oração é um caminho da pessoa para Deus e de Deus para nós.
A oração não é uma meta, mas um caminho para se chegar a Deus.
A oração devia ser uma necessidade e não uma obrigação. Necessária para conhecermos melhor a Deus e para conhecermos melhor a nossa identidade: quem sou eu?

PURIFICAR A ORAÇÃO
Não somos deuses, mas sim criaturas de Deus. Às vezes queremos colocar Deus a nosso serviço. O papel da oração é colocar-nos ao serviço de Deus. Rezar para ganhar favores e privilégios é uma oração pobre, algo interesseira, centrada em nós.
A oração tem de estar centrada em Deus para O adorar, louvar, agradecer, bendizer, pedir perdão e também pedir coisas. Se só pedimos coisas a Deus estamos centrados em nós…
Oração implica SILÊNCIO. Silêncio interior e silêncio exterior. FECHAR OS OLHOS.
No silêncio poderemos ouvir a Deus e poderemos ouvir a nós mesmos. Colocar-se na presença de Deus em paz interior, sem as preocupações do dia-a-dia e sem aqueles sentimentos de raiva.
Rezar é muito mais escutar Deus do que falar e isso só é possível pelo silêncio.
Que Deus te abençoe a ti que rezas e a ti que não rezas.


Padre Albano Nogueira

Sem comentários:

Enviar um comentário